• Ranulfo Pedreiro

Marquinhos Diet no caminho da coerência


Eu me lembro de Marquinhos Diet como um compositor inspirado pela música popular, sem pretensões eruditas, embora já tivesse, naquele início dos anos 90, um conhecimento vasto. Também me lembro de Marquinhos como um amigo sincero, livre de falsidades, uma daquelas pessoas que valiam a pena estar por perto.


Marquinhos venceu o MPB Londrina e, em seguida, o FestValda, em São Paulo, com Efeito Pretérito, em 1994. Ganhou um clipe da Tizuka Yamasaki e fez sucesso quando a MTV ainda era uma TV aberta.


A canção era uma colagem bastante pessoal de músicas marcantes, algumas deliberadamente bregas, misturadas a comerciais e outros ícones de uma juventude simples e ingênua. Era a nossa juventude, quando uma bala de leite Kids representava um prêmio valoroso e inesquecível.


Viajamos para São Paulo juntos, uma vez, em uma disciplina do curso de Jornalismo da UEL. Acabamos enveredando pela boemia paulistana, em situações incríveis, que merecem certamente outro texto. O violão simplesmente não parava, tocávamos de Lou Reed a Secos & Molhados, sempre passando pelas músicas do próprio Marquinhos. Só não fizemos uma canção em parceria por incompetência minha.


Marquinhos Diet está preparando um disco novo. Chama-se Da lama ao sucesso, título auto-referente e irônico de um músico que sempre esteve de ouvido colado às rádios AMs, de olho nos trejeitos do povo, mas sem a apelação que a música popular ganharia com as décadas. Por isso Raul Seixas aparece, claramente, como um norte - pela capacidade de transformar as próprias angústias em dores de todos nós, por incorporar a labuta de quem não está sob os holofotes e tem muito para contar.


Não deixa de ser curioso. Marquinhos não se lembra de como ou quando a nova canção foi composta. Pode ter sido há 20 ou há 5 anos, não importa. O rumo se mantém.


Meu destino eu mesmo traço é uma canção coerente. Marquinhos Diet soube mudar e permanecer o mesmo, um autor que se entrega ao próprio roteiro conhecendo as pedras do caminho.

“Essa música é uma das músicas do disco novo, Da lama ao sucesso. Eu me lembro que eu quis fazer uma voz brega, meio Odair José. Era uma voz bem anasalada, mas com uma letra filosófica. Eu tinha várias músicas sem gravar, e resolvi sentar com o Zé Roberto, baterista que tocou comigo em todos os discos, e a gente escolheu nove músicas para o álbum.”

O disco Da lama ao sucesso será lançado com uma live no dia 8 de abril pelas redes de Marrquinhos Diet no Youtube, Instagram (@marquinhosdietoficial) e Facebook.




187 visualizações2 comentários